A conveniência não nos quer bem

Ou como os atalhos não nos levam ao futuro

Desapontado com o século XXI, Peter Thiel, fundador do Paypal, proferiu uma frase que tem ecoado na minha cabeça durante os últimos dias: ”queríamos carros voadores, em vez disso temos 140 carateres.” O desânimo é visível e é fácil perceber porquê. Na última década, o progresso tecnológico tem sido desenvolvido para nos deixar mais confortáveis, para tornar a vida quotidiana mais simples e eficaz. Não lamento um 2020 sem carros voadores, mas receio que se tenha perdido a visão que nos fez sonhar com o espaço.

Hoje, a conveniência domina a internet do consumo. Cliques fáceis relembram-nos que podemos ter acesso a serviços, produtos e informação, com uma taxa mínima de esforço. Mas, pelo caminho, deixamos de imaginar futuros que vão além das nossas necessidades imediatas e individuais.

Para que a próxima década nos faça avançar como humanidade, precisamos de continuar a desafiar-nos e a imaginar cenários que vão além dos constrangimentos do presente. O futuro não pode continuar a ser construído com base nos passos que não damos. Está na altura de recuperarmos a curiosidade pelo universo. Não por ser fácil, mas por ser difícil.


💾 Nostalgia

“Quando o real já não é o que era, a nostalgia assume todo o seu sentido.” - Baudrillard

Em 1996, John Perry Barlow, co-fundador da organização não governamental Electronic Frontier Foundation, escreveu um email controverso com uma mensagem clara: os governos não devem - nem podem - governar a internet. O conteúdo desse manifesto é hoje conhecido como a Declaração de Independencia do Ciberespaço.

“Our identities have no bodies, so, unlike you, we cannot obtain order by physical coercion. We believe that from ethics, enlightened self-interest, and the commonweal, our governance will emerge. Our identities may be distributed across many of your jurisdictions. The only law that all our constituent cultures would generally recognize is the Golden Rule. We hope we will be able to build our particular solutions on that basis. But we cannot accept the solutions you are attempting to impose.“


💻 Tempo presente

“Como uma tempestade tropical, também eu posso, um dia, tornar-me mais “bem organizada” - Lydia Davis

Se o cérebro é o computador central do nosso corpo, as transmissões de sinais entre neurónios são os hiperlinks que nos permitem relacionar, compreender e interpretar informação. O sistema de notas Zettelkasten permite-nos organizar os conteúdos que consumimos de forma similar à rede neural. Ao tirarmos apontamentos sobre aquilo que lemos, ouvimos ou vemos, temos tendência a isolar as notas em si mesmas - quer seja de forma linear, num caderno, ou dentro de categorias, como o nome do livro. Quando o fazemos, estamos a limitar a nossa tendência natural para criar ligações. O sistema Zettelkasten funciona com base em referências cruzadas e tem como objetivo fazer-nos pensar melhor. Enquanto lia sobre este método, descobri o conceito de Evergreen notes e adicionei o livro “How to Take Smart Notes” à minha lista de leituras. Tenho vindo a escrever as minhas notas em pequenos cartões, mas este template do Notion fez-me abrir novamente o debate sobre as vantagens de manter um sistema de notas em formato digital.


🔍 Ventos futuros

“A realidade consiste, apenas, em diferentes pontos de vista” - Margaret Atwood

A plataforma Todays.Supply funciona como um diretório online de eventos no campo das artes, design, cultura e tecnologia. Qualquer pessoa pode submeter um evento e ajudar a construir o maior festival internacional de troca de conhecimento. Durante a próxima semana, podes acompanhar conversas organizadas a partir de São Francisco, Londres, Basileia e Roterdão. Se estás a criar o teu próprio evento ou a gerir uma comunidade, podes encontrar várias referências e informações no documento Community Building Resources.


E a pergunta do dia é:

🤔 “Os teus dias são coleções de histórias ou de missões?”

Fico à espera da tua resposta nos comentários! Vamos fazer desta newsletter um espaço de partilha, onde podemos trocar ideias, sugestões e recomendações.

Leave a comment

Até já!

Inês 🌿


A Internet num Telegrama é uma newsletter sobre meios, mensagens e humanos, escrita por mim - a Inês da Nevoazul. Duas vezes por mês, vou partilhar conteúdos que exploram a forma como comunicamos na era da informação. A ilustração em cima é do Pedro Codeço.