A ilusão de conhecimento

Ou como podes consumir informação de forma mais intencional

Olá! Bem-vindo a mais uma edição da Internet num Telegrama, uma newsletter da Nevoazul sobre meios e mensagens. Esta é a nossa forma de partilharmos contigo aquilo que vamos descobrindo quando estamos online. Obrigada por subscreveres!

Nesta newsletter escrevemos sobre:

  • Como o excesso de informação não significa abundância de conhecimento

  • A aplicação que te ajuda a separares as newsletter do email

  • Um curso para transformar leituras em ideias

  • …e muito mais!

Nem tudo o que é informação, chega a conhecimento

Qualquer mente curiosa que se preze, não hesita em investigar, questionar e aprofundar conhecimentos, mas entre as 300 horas de vídeo publicadas a cada minuto no YouTube e o 1 milhão de artigos publicados no Medium por dia, será possível continuar a expandir o cérebro, sem o sobrecarregar?

“A quantidade de tempo que temos durante as nossas vidas é óbvia”, escreve Anne-Laure Le Cunff, “mas raramente pensamos sobre a energia mental que precisamos para compreender, aprender e relembrar um pedaço de informação”. Uma das razões porque continuamos a tentar acompanhar esse fluxo insustentável de conteúdos é por associarmos o excesso de informação disponível ao conhecimento que podemos adquirir. Apesar de haver verdade nessa ideia, ela pode motivar uma falsa sensação de sabedoria.

Clay Johnson usa a metáfora da alimentação saudável para questionar o modo como lidamos com esta abundância de conteúdos. "Sabemos que somos produtos daquilo que comemos. Porque não haveríamos de ser produtos da informação que consumimos?"

É aqui que entra o conceito da ignorância selectiva. Pode parecer contraditório, apoiarmo-nos no oposto da sabedoria para a alcançar, mas assumir uma atitude crítica em relação à informação é uma estratégia de proteção, um mecanismo para te salvaguardares do ruído digital.

Independentemente de qual seja o tamanho da tua Internet - quer se resuma aos sites do costume ou esteja em expansão, precisas de delinear o mapa do teu consumo de informação. Quem são os teus curadores e onde os podes encontrar? Em que fontes podes confiar? Como podes manter-te informado sobre o teu bairro, mas também sobre o que se passa do outro lado do mundo? Onde vais encontrar uma comunidade criativa que desafie a tua imaginação? Responderes a estas perguntas vai ajudar-te a alimentares melhor a tua mente.

Podes não sentir o teu cérebro tão cheio, mas ele vai certamente ficar mais esperto.


Ferramentas sobre consumo informativo


Como controlas a tua dieta informativa?

  • Consegues ler as newsletters que subscreves?

  • Sentes que a informação que consomes é escolhida por ti?

  • O que apela mais à tua curiosidade: podcasts, artigos ou vídeos?

Junta-te à discussão e partilha connosco links, pensamentos, podcasts ou artigos que aches relevante sobre este tema. Queremos que esta simples caixa de comentários se transforme numa comunidade de pessoas curiosas sobre a forma como comunicamos. Também queremos ficar a conhecer quem está desse lado do ecrã :)

Leave a comment

Até já!

Inês 🌿


Queres saber mais sobre a Nevoazul? Nós fazemos um resumo rápido :) A Nevoazul é uma revista anual sobre como comunicamos dentro e fora da Internet. A nossa equipa é composta pela Inês Catarina Pinto, a Bárbara Nogueira, o Pedro Codeço, a Isabel Sá, o Pedro Oliveira e o Miguel Barbot. A revista é feita no Porto, mas podes encontrá-la à venda em várias partes do mundo. Para te agradecermos por subscreves esta newsletter, tens 30% de desconto na compra de qualquer edição da revista. É só usares o código #telegrama no checkout do site.