Encontrar trevos de quatro folhas

Ou como os curadores são os novos criadores

Fosse a Internet um jardim, seria cada vez mais difícil encontrar trevos de quatro folhas. A culpa pode ser atribuída à Lei da Partilha Social, também chamada de Lei de Zuckerberg, que diz que os conteúdos publicados nas redes sociais tendem sempre a aumentar. Se hoje fazemos duas partilhas, esse valor deverá duplicar no próximo ano, e assim sucessivamente. Apesar da teoria dar espaço à sua refutação, a verdade é que nunca tivemos tantos podcasts para ouvir, artigos por ler ou tweets para acompanhar.

Nas palavras de Morgan Housel, se fecharmos o cérebro a diferentes estímulos, arriscamo-nos a ficar presos no pequeno universo das nossas experiências. Mas sem um filtro forte daquilo que consumimos, ficamos assoberbados de escolhas e paralisados por inacção.

É aqui que entram os curadores - pessoas que não se deixam intimidar por ervas daninhas e que continuam a procurar o melhor que a Internet tem para oferecer. No artigo Curators Are the New Creators, Gaby Goldberg escreve que a curadoria pode ser uma ferramenta essencial para dar acesso a leituras, pessoas, vídeos e podcasts que demorariamos muito tempo a descobrir.

E se confiar em curadores parece um atalho preguiçoso para filtrar aquilo que consumimos, então não estamos a seguir uma dieta informativa adequada. Robert Cottrell lê 1,000 artigos por dia para nos poder apresentar os cinco melhores na newsletter The Browser, o Channels Stack oferece uma seleção dos melhores vídeos educacionais do Youtube e na Newsletter Slack encontramos um directório de newsletters por tópicos. Os curadores podem ser os nossos guias, mas os trevos que apanhamos pelo caminho são escolhidos por nós.


💾 Nostalgia

"Everything that needs to be said has already been said. But since no one was listening, everything must be said again." - André Gide

A rádio foi o fim dos jornais, a televisão substituiu o rádio e a Internet destruiu a televisão. A lengalenga é conhecida, mas ignora o poder da reinvenção. Em 2009, quando a indústria do impresso estava a passar por uma das maiores crises da década, o Newspaper Club apareceu com uma missão ambiciosa - democratizar a criação e distribuição de jornais. Ao tornarem o meio mais acessível, a criatividade começou a fluir e o conceito de jornal ganhou uma nova vida. Com o aumento dos eventos em formto digital, o Newspaper Club mostra como o impresso pode complementar exposições e lançamentos online.


💻 Tempo presente

"You get to decide what to workshop" - David Foster Wallace

Voltando ao conceito de curadoria na era digital, estas duas newsletters deixaram-me em igual medida curiosa e surpreendida:

  • Com a newsletter Weeklypedia podes receber um email semanal com os vinte artigos mais editados na Wikipédia durante os últimos 7 dias.

  • O projeto Winning the Internet, desenvolvido pelo The Pudding, faz uma análise de 102 newsletters e seleciona os artigos que foram mais partilhados. Na semana passada encontraram 3,348 links diferentes provenientes de 209 emails. A história mais popular da semana foi o artigo China Secretly Built A Vast New Infrastructure To Imprison Muslims de Megha Rajagopalan.


🔍 Ventos futuros

“They can never know you... They won’t know the you that’s hidden somewhere in the castle of your skin." - George Lamming

O nosso ecosistema de informação determina em quem confiamos, de quem gostamos, que lutas travamos e em quem votamos. O Thoughtful Technology Project foi criado por Aviv Ovadya para assegurar que as novas tecnologias não prejudiquem, de forma irreversível, a estrutura de verdade numa sociedade. Neste artigo escrito para o MIT Technology Review, Ovadya explica como as ferramentas que permitem criar deepfakes podem ter um impacto positivo na sociedade.


E a pergunta do dia é:

🤔 “Quem são os curadores da tua Internet?”

Fico à espera da tua resposta nos comentários! Vamos fazer desta newsletter um espaço de partilha, onde podemos trocar ideias, sugestões e recomendações.

Leave a comment

Até já!

Inês 🌿


A Internet num Telegrama é a newsletter da Nevoazul sobre meios, mensagens e humanos, escrita por mim - a Inês. Duas vezes por mês, vou partilhar conteúdos que exploram a forma como comunicamos na era da informação. A ilustração em cima é do Pedro Codeço.