Métricas para dias comuns

Ou como o todo é maior que a soma das partes

Apercebi-me que existem poucos momentos do meu dia que são transformados em números. Lembro-me daquilo que li, dos lugares onde fui e da maioria das conversas que tive - mesmo aquelas que podiam ser facilmente categorizadas como esquecíveis. Já contar passos, somar quilómetros ou medir o meu consumo diário de água, nunca fez parte das métricas pelas quais me guiei, até chegar a uma estranha ilação.

Metodologia e estrutura são os alicerces da minha forma de pensar. É graças a eles que consigo transformar ideias sem lei em estratégias. Sempre me apoiei em processos para dar ordem aos dias, mas eram sempre as histórias, não os números, que preenchiam a matriz.

Talvez o meu lado mais analítico esteja a tentar ganhar esta luta, ou apenas a sentir uma pitada de inveja por ter andado a namorar os minuciosos relatórios de vida do Julian Lehr. Motivações à parte, estou tentada a quantificar as exceções do meu tempo offline. Em vez de me focar numa contagem exaustiva das tarefas que preenchem o quotidiano, vou destacar momentos singulares. O primeiro da lista: quantas marés fazem o meu verão?


💾 Nostalgia

"People everywhere love Windows” - Bill Gates

Há projetos que, pela sua simplicidade, parecem ter uma certa nostalgia associada. Um deles é o WindowSwap, um site desenvolvido durante a quarentena que nos permite olhar através de janelas em redor do mundo. Enquanto observo o cenário rural das Filipinas ou espreito os telhados de Hong Kong, lembro-me do artigo “The Importance of staring out the window”, da School of Life, sobre os momentos em que, por aborrecimento ou claridez, deixamos a mente vaguear em frente a uma janela aberta.


💻 Tempo presente

“Everyone needs habits of mind that allow them to dance across disciplines.” - David Epstein

O diretório newsletter.slack é uma das ferramentas que mais utilizo para diversificar a caixa de entrada do meu email. É possível encontrar newsletters sobre tópicos tão actuais como COVID-19 ou específicos como India tech. Uma das boas surpresas que este site me trouxe foi a Flow State. Esta newsletter é enviada de segunda a sexta-feira e traz com ela duas horas de música que conseguem, em igual medida, dar-me a conhecer novos artistas e manter-me focada no trabalho.


🔍 Ventos futuros

“O primeiro voo controlado de um balão de ar quente ocorreu no dia 21 de Novembro de 1783” - Wikipédia

Neste preciso momento, há uma frota de balões de ar na estratosfera a sobrevoar a zona este de África. No seu interior? A Internet. O projeto tem vindo a ser desenvolvido pela Loon, uma unidade pertencente à empresa mãe da Google, com o objetivo de fazer a Internet chegar a zonas isoladas, mas densamente povoadas. Os balões movimentam-se sozinhos, aprendendo, através de sistemas de inteligência artificial, quando devem manter-se estáveis numa determinada área. Passado 100 dias, deixam a estratosfera e regressam à Terra.


E a pergunta do dia é:

🤔 “Que momentos do teu lazer são transformados em números?”

Fico à espera da tua resposta nos comentários! Vamos fazer desta newsletter um espaço de partilha, onde podemos trocar ideias, sugestões e recomendações.

Leave a comment

Até já!

Inês 🌿


A Internet num Telegrama é uma newsletter sobre meios, mensagens e humanos, escrita por mim - a Inês da Nevoazul. Duas vezes por mês, vou partilhar conteúdos que exploram a forma como comunicamos na era da informação. A ilustração em cima é do Pedro Codeço.